quinta-feira, 27 de novembro de 2008

OSVALDO - O rei da batida

Paula é uma amiga chique. Já mencionei a moça outras vezes nesse blog pois é uma ótima cia de restaurantes e aventuras gastronômicas. Me apresentou o Bogati e o Expand, ambos na Barra.

Ontem, ela fez aniversário (paulinha, parabéns!!!). E convidou os amigos pra tomar uma batidinha no Osvaldo. Paula é uma moça, além de chique, surpreendente. Se você filmar o tipo, jamais diria que seu aniversário seria comemorado lá - local que eu não conhecia apesar de ser muito curiosa de tanto ouvir falar da sua especialidade: as batidas.

Fomos nós. Chegando, quase que passo batido - ops - reto. Paula e a minha primeira vista daquela esquina não combinavam: boteco sem glamour (nem aquele glamour de boteco pé sujo, de azulejos.. nem isso), simples, mesas com aquelas toalhas plásticas já meio engorduradas, cardápio "impegável", salgadinho servido naquela travessinha de alumínio riscado do tempo, batida servida no copinho americano (esse sim, um charme).

Aí que conheci o lado "chinelinho rasteira" de Paula... Mesmo com um jeans da moda e uma blusa esvoaçante, ela fez o lugar. Tá certo que já meio "altinha" de 6 copinhos de batida, ela ia e vinha, colocando um som na juke box do "Osvaldo". Gente animada, coxinhas, bolinhos de queijo e linguiça aterrissando na mesa. Em suma, o Osvaldo me pareceu ser aquele lugar que é o que você quiser: bom pra comemorar aniversário descontraído, bom pra bater papo, bom pra desopilar do trabalho, bom pra uma paradinha rápida, enfim. Só não sei se é bom pra paquerar, mas a Luíza jura que já iniciou um flerte lá. Bom, mas é a Luiza...

Falando da batida, realmente ela tem seu lugar: não é daquelas batidas grossas, que enjoam. Alcóolica na medida certa (pra Paula a medida passou um pouquinho). Quem conhecia bem jurava que é igual sempre. Que nunca mudou. Não sei foi aquela lei famosa, mas lá pelas tantas uma batida veio com um cheiro meio de cachaça. Reclamação feita, tudo voltou ao normal. Na hora de escolher o sabor, todos foram unânimes: coco! Ok. Mas na segunda quis variar. Tive que insistir, mas me indicaram maracujá. Pedi. Quando veio, chamei o garçom e pedi pra trocar pela de..... coco! Realmente, não tem igual. Fiquei nela o resto da noite.

Sobre os petiscos, esse não é o forte de lá. Quem está de regime, só caldinho de feijão, segundo a Luiza. No mais, é salgadinho mesmo, fritura. A coxinha é boa. A bolinha de queijo, nem tanto. A Linguiça chama a atenção, vem acebolada. AH! A empada é ótima. Derrete na boca! Pronto, empada é a melhor pedida de lá.

Fim de noite, fomos todos felizes pra casa. Pela Paula e pelos momentos agradáveis. O Osvaldo é o coadjuvante sem egos para qualquer ocasião onde o que interessa é curtir os amigos.




cotação do A Boca: colher de chá




4 comentários:

Anônimo disse...

Caramba!! só consegui ler o meu post agora! ADOREI, LU! e que bem que voce gostou. a batida é deliciosaaaa! hahahahaha! eu que sei né! adorei meu aniversario! só pessoas queridas... me diverti mto! osvaldo é otima pedida! amo aquilo lá.
aodrei, lu!
bjs
Paula

alexandre disse...

Eu te mandei um texto sobre o caruru, pro seu gmail, há semanas, e você nunca respondeu nem comentou. Olha que eu marco um psicanalista e te mando a conta, hein?

FERNANDA TEIXEIRA disse...

Conheço pessoas chiquéeeerrimas que saem do Leblon e de Ipanema apenas pra fazer a "pré-night" no Osvaldo e voltam depois pra Zona Sul (com uma garrafa pra viagem, claro...rs)! Outras acabam nem voltando...kkkk
E a de coco é, sem dúvida, carro-chefe.
Vou confessar que nem sabia que tinha petiscos por lá....hahahaha..
Bjs e parabéns, Paulinha!

Anônimo disse...

Existiu a anos atras na muda na conde de bomfim o Só Kana o rei das batidas,tinha o apaga 2, escorrega,trombada, motor de arranque entre outras e a inigualavel batatinha calabresa feita pelo gabriel... Saudades!