domingo, 19 de outubro de 2008

RISOTO - RECEITA NOVA

Risoto é um treco que pra eu comer em restaurante ou é pra me surpreender e inspirar ou é pra eu dizer: o meu é melhor. Pq sem modéstia, de tanto que gosto, aprendi a fazer e faço bem.
Risoto, aliás, foi o que me levou pra cozinha. Tenho uma mãe que cozinha muito bem. Meus amigos sabem bem do que estou falando. Porém, risoto é uma coisa na qual ela nunca se aventurou.
Oba, vi uma brecha.
Como gostava muito, (estou falando do risoto italiano, dos bons, com arroz arboreo e não aquele mexidinho de arroz com o que sobrou na geladeira) numa viagem para uma fazenda de um amigo da minha amiga, fizemos aquela confraternização na cozinha e o prato era risoto. Colei no fogão pra ver como era e fui tentando depois em casa ou na casa de amigos (muitos foram cobaias de Lulu). Tentei tanto que aprendi. Claro que algumas pessoas comemoram verdadeiras gororobas. Mas me apoiaram tanto que fui em frente.

Hoje, meu pai, de tanto ouvir falar dos meus risotos, experimentou um pela primeria vez: risoto de abobrinha e hortelã com carne seca. Ficou um espetáculo. Invenção minha e da minha mãe. O pitaco da carne seca foi dela e ficou TUDO! Experiência conta, não é, minha gente?!

Sou daquelas que mesmo quando sou eu quem cozinho, se está bom sou a primeira a fazer o "hummmmmm" na mesa. Sem modéstia, sem cerimônias. E hoje, não foi diferente. Antes de todos, eu mesma atestei a novidade: "hummmmmmmmm". Mas não passo por baixo da mesa, como a Ana Maria Braga, não.

Foi bem bacana. Minha mãe fez a carne seca, na panela de pressão, com um pouco de cebola e alho. Depois de cozida, desfiamos e o molho que sobrou no fundo da panela serviu de base pro meu caldo (misturei com água fervente pra diluir o sal do molho e usar para cozinhar o arroz).
Desfiada a carne, colocamos na frigideira com um pouco de cebola à juliana, já refogada num azeite e levemente fritamos um pouquinho de nada. Separamos.

A abobrinha eu refoguei tb no azeite e cebola, abafei e depois de pronta, joguei hortelã rasgada com a mão, e fechei a panela. Ficou lá.

Fiz o risoto normal, usando como caldo pro cozimento o molho da carne seca. Quase pronto, adiconei o parmesão, mas pouco pra não roubar o gosto leve da abobrinha e do hortelã. Finalizei misturando a abobrinha e com o fogo delisgado, aquela boa colher de manteiga.

Hora de montar o prato: risoto no centro, abre-se um buraco no meio e coloca uma boa porção da carne. Acho que ficou muito melhor assim do que misturar td de uma vez no risoto. Assim, vc mistura na mesma garfada o arroz e a carne e os sabores dos dois se juntam sem ficar uma coisa só no paladar!
Vou te dizer: parecia prato de restaurante! Dos bons! Cotado como colher de sopa!

Quer tentar fazer? Depois me conta!
bjs

5 comentários:

fernanda disse...

Fui e ainda sou uma das cobaias e por isso tenho meu paladar bem apurado! Se estiver passando por Salvador, provem o risoto de camarão do restaurante Mistura em Itapuã.

YosoyJo disse...

Eu provei o risotinho que a Lu disse que era "básico", uma delícia! Acompanhado de frango ao curry, outra gostosura. Gente, a menina é mesmo boa de risoto! Lu, assim que eu me aventurar na sua receita, passo aqui pra te contar o resultado!
Bjs!
P.S: O blog tb tá uma gostosura de ler!

Bia disse...

Ah ê! Gostei de ver o layout do blog! hahhahahhaa
Tá aprendendo, heim?
Tá lindo o blog!
Beijocas

Anônimo disse...

Sou sua cobaia nos risotos. E são tão bons, mas tão bons, que até aquele que você inventou quando eu estava grávida e enjoada, de queijo minas com tomate, ficou mara! Aliás, vc tá devendo um risoto lá em casa (rs)! Amei o blog. Beijos, Lu 3.

Nicolau Centola disse...

Eu faço de carne seca desfiada com abóbora. Tente, é show.